Projetos no Brasil

ASHES –Recycling of nutrients from residues of thermo-chemical processing of bagasse/sugar cane straw

© 2016 Fraunhofer-Gesellschaft Fraunhofer UMSICHT

O projeto “ASHES – Recycling of nutrients from residues of thermo-chemical processing of bagasse/sugar cane straw” é coordenado pelo Instituto Fraunhofer Tecnologia Ambiental, de Segurança e de Energia UMSICHT em Sulbach-Rosenberg, Alemanha. O projeto teuto-brasileiro teve inicio em 01 de abril de 2015 e terá a duração de três anos. Financiado pelo Ministério Federal de Educação e Pesquisa, no âmbito do Programa Bioeconomia 2012, e conta com a parceria para a pesquisa das seguintes intituições: Instituto de Tecnologia de Karlsruhe (KIT); Instituto Federal de Pesquisas e Testes de Materiais; instituto Fraunhofer para Engenharia de Interfaces d Biotecnologia - IGB, o Centro de Pesquisa Jülich; o Instituto CUTEC; Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiás (IFG), Laboratório Nacional Agropecuário (LANAGRO), Universidade Federal de Goiás (UFG) e as empresas Tecnaro GmbH e Outotec.

A biomassa lignocelulósica seca (palha e bagaço) é cada vez mais utilizada em processos termoquímicos como combustão ou gaseificação. A tarefa do projeto é melhorar esses processos com o objetivo de aumentar a eficiência energética e permitir a reciclagem de cinzas do processo para fechar os ciclos dos materiais. Para esse efeito, as cinzas com baixo nível de poluição (que contêm sílica e quantidades variáveis de outros nutrientes, como fósforo e potássio) são produzidas e processadas para obtenção de fertilizantes, bem como aditivo na produção de biopolímeros. Em cooperação com os parceiros brasileiros serão identificados os conceitos para uma reutilização sustentável de cinzas.

Neste processo, são investigadas, no Fraunhofer UMSICHT e no KIT, diferentes possibilidades para uma optimização da combustão do bagaço. Após ensaios preliminares num reator de laboratório no KIT, serão realizados testes pilotos em larga escala, conduzidos pelo UMSICHT em diversas instalações de combustão. O intuito é potencializar ao máximo a decomposição térmica para produzir cinzas ricas em nutrientes, especialmente o fósforo e o potássio estão no foco dos cientistas. Estes elementos devem permanecer nas cinzas com a maior concentração possível. A cinza produzida é então peletizada ou granulada, de modo a permitir uma aplicação mais simples para a área agrícola. Para isso, esses testes de manuseio serão executados pelo Fraunhofer UMSICHT em Oberhausen (Alemanha), onde será experimentado o tratamento ideal do fertilizante produzido. Os pesquisadores também estudam o modo como as propriedades da cinza processada afeta o prazo de armazenagem do fertilizante.

As conclusões sobre o efeito fertilizante de várias cinzas de bagaço sobre o crescimento das plantas devem fornecer recomendações direcionadas e integradas para o tratamento e a queima do bagaço a fim de melhorar a disponibilidade de nutrientes.