Fraunhofer ICT trabalha em novos materiais compósitos feitos de ácido poliláctico (PLA)

18.3.2019

Para atender às questões ambientais, cada vez mais as industrias tem procurado soluções para produção que gerem o menor impacto possível ao meio ambiente, sobretudo com a utilização de materiais biodegradáveis. O ácido poliláctico (PLA) comumente conhecido como bioplástico, por exemplo, é fabricado a partir da dextrose (açúcar) extraídas de fontes renováveis, e utilizado comumente na extrusão de fibras (sacos para chá, roupa), moldação por injeção (caixas para joias) fabricação de compostos (com madeira, PMMA), moldação Sopro (garrafas de água) entre outros. Pesquisadores do Instituto Fraunhofer de Química (ICT) trabalham num projeto para o desenvolvimento de um composto de PLA auto reforçado.

Protótipos de encostos de assento de carro: Termoplástico de engenharia (esquerda) e novo compósito  de PLA auto reforçado (direita)

Foto: Fraunhofer ICT

No âmbito do Projeto Bio4self, financiado pelo Fundo Europeu de Pesquisa H2020, dois tipos diferentes de PLA com diferentes temperaturas de fusão são combinados para formar um composto de PLA auto reforçado (PLA SRPC). Dessa forma, o PLA de fusão mais alta é incorporado como fibra de reforço na matriz de fusão mais baixa. A rigidez do material resultante pode competir com materiais compósitos de polipropileno auto reforçado (PP) encontrados no mercado. Isto permite a produção de componentes mecanicamente complexos para o setor de eletrodomésticos e automotivos.

Os materiais de PLA baseiam-se em recursos renováveis, conhecidos como ácidos lácticos, que podem ser obtidos a partir de resíduos agrícolas ou matérias-primas especialmente cultivadas, como a cana-de-açúcar. Embora os compósitos desenvolvidos tenham sido funcionalizados para alta resistência mecânica e rigidez, bem como para alta temperatura e estabilidade hidrolítica, eles, como o PLA puro, são totalmente de base biológica, facilmente recicláveis, recuperáveis e até biodegradáveis industrialmente. Estes materiais compósitos que podem ser produzidos em escala industrial representam um marco no desenvolvimento de sistemas de materiais de base biológica e funcionais, mecanicamente resistentes, além de contribuir significativamente para a economia circular.

Indicado para o Prêmio JEC na categoria »Sustentabilidade«

O sucesso do projeto é tamanho que ele foi indicado ao prêmio JEC, um dos maiores prêmios de inovação. O Fraunhofer ICT juntamente com os parceiros do projeto demonstra, a aplicabilidade desses materiais em componentes industriais no estande da Bio4self em março, em Paris. Entre outras coisas, uma das aplicações apresentadas foi uma estrutura de assento de carro.