Instituto Fraunhofer IVV participa do 6º Workshop RedeAlgas no Rio de Janeiro

Eng. Alexandre Martins Moreira, gerente de desenvolvimento de negócios e gestão de projetos do FPC-ITAL
Eng. Alexandre Martins Moreira, gerente de desenvolvimento de negócios e gestão de projetos do FPC-ITAL

De 26 novembro a 01 de dezembro acontecerá o VI Workshop RedeAlgas, a ser realizado no Hotel Ressurgência, em Arraial do Cabo, Rio de Janeiro. Nesta sexta edição, o evento contará com a participação do Instituto Fraunhofer para Engenharia de Processos e Embalagens – IVV contribuindo com a discussão acerca das novas tecnologias que envolvem as algas.

As algas já estão há muito tempo presentes no cardápio dos seres humanos, a culinária japonesa, por exemplo, utiliza bastante as espécies kombu e nori, esta última para a preparação de sushis e temakis. Mas além disso, elas têm se mostrado cada vez mais importantes para a indústria, principalmente como base para o desenvolvimento de tecnologias com aplicações em diversas áreas, por exemplo, farmacêutica, alimentícia, cosmética, entre outras.

O Workshop RedeAlgas objetiva reunir os mais renomados especialistas em p&d de algas e fomentar a discussão sobre as novas descobertas do mundo das algas, bem como possibilitar o intercâmbio de conhecimento. Nesse sentido as instituições IEAPM, IQUSP, UFRJ, FIPERJ, UFRN, UFSC, IBt-SP, IBUSP, UFF promovem esse evento há seis anos.

Em sua palestra Sustainable Helthy Food and Feed ingredientes no dia 27.11 às 09:00, o engenheiro Alexandre Martins Moreira, gerente de desenvolvimento de negócios e gestão de projetos do Centro de Projetos Fraunhofer para Inovação em Alimentos e Recursos Renováveis no ITAL, irá apresentar as atividades que o IVV desempenha no Brasil. Dentre elas, o projeto SeaFeed de estudos com macroalgas marinhas. O projeto completa em novembro um ano de atuação e é realizado em parceria com Instituto de Botânica da USP, o Instituto Botânico de São Paulo, o Instituto de Pesca, UNESP/FMVZ e a Fundação Instituto de Pesca do Rio de Janeiro. Também participam do projeto empresas brasileiras produtoras de algas como a Companhia das Algas no Ceará e a D’Alga Aquicultura Urbana, além das alemãs Coperion, OceanBasis, Scheid AG, Deutsche Tiernahrung Cremer e  Van Hees.

O Instituto Fraunhofer IVV possui bastante experiência em estudos com algas, na Alemanha, em outro projeto paralelo, o Instituto IVV realiza uma pesquisa, com parceiros da União Europeia, para a utilização de algas como um possível substituto do sal.

Para consultar a programação preliminar e realizar sua inscrição, clique aqui

Last modified: